< voltar

Ajudando

23 Agosto
As mudanças nas famílias atuais com os chamados “novos pais”

As mudanças nas famílias atuais com os chamados “novos pais”

Com o mês dos pais aí, buscamos nos inteirar mais sobre como tem sido o papel dos homens nas famílias, se os papais estão se dedicando a tudo que tem a ver com a criação dos filhos e se esse tipo de atitude tem aumentado com tantas discussões sobre o assunto que vemos nas redes sociais.

 

Os pais devem participar ativamente da vida dos filhos

 

Os homens que têm essa preocupação de estar presente em casa, provavelmente consideram que estão desempenhando um bom papel na paternidade. Segundo a coach familiar Valéria Ribeiro, a falta dessa presença na vida dos pequenos pode vir a desenvolver problemas relacionados à insegurança e hostilidade.

 

As mudanças na sociedade como um todo trazem uma expectativa maior sobre o que os pais estão fazendo pela família. Os homens estão vivendo essas transformações de maneira lenta, mas notável, graças às discussões sobre a igualdade de oportunidades, respeito e responsabilidades de gêneros. Para que isso aconteça, existe a luta das mulheres em trazer esses assuntos à tona e transformar a sociedade para que todos tenham as mesmas oportunidades.

 

Os que já estão inseridos nesta nova rotina, em que de fato participam de tudo que é relacionado à casa e à família no geral, vivem o momento em que os afazeres domésticos e o trabalho fora de casa estão bem harmonizados e não sentem tanta pressão quanto as mulheres no mesmo papel, que são cobradas dos dois lados: se passam muito tempo fora de casa ou se “abandonam” a carreira para se dedicar à família.

 

Os “novos pais”, como têm sido chamados, querem botar a mão na massa dentro da família e serem ativos na vida dos filhos. Exemplo disso é o paizão, Rafael Cardoso que, em entrevista especial à revista Tip Top Mag, comenta: “não pode mais existir aquele pensamento antigo de que é a mãe quem cria. Lá em casa, dividimos todas as tarefas, um ajuda o outro”. Para ele, a importância da participação do pai na criação dos filhos é total.

 

“Gosto de poder estar junto o tempo todo, compartilhar o que sei e, principalmente, estar atento para aprender também.”

Rafael Cardoso

 

E o que essas mudanças significam para as famílias?

Os homens têm participado mais da criação dos filhos, mas ainda não alcançaram as mulheres nesse papel de ser o maior apoio dos pequenos, como afirma a pesquisa “A Nova Masculinidade e os Homens Brasileiros” feita pelo Google: “mais de 83% das crianças brasileiras de até 4 anos têm como primeira responsável uma mulher.”

 

Um exemplo de por que isto acontece é o resultado do estudo também recente do Journal of Family Issues que descobriu que os maridos gastam 23 horas por semana em tarefas domésticas, enquanto as mulheres se dedicam às mesmas atividades por 42 horas semanais. (Revista Pais&Filhos)

Ou seja, estamos vendo que as mudanças estão aí, mesmo que lentas. Os filhos ainda veem as mães como a principal acolhedora, educadora e amiga. Mas, como ressaltou Marcos Piangers em nossa revista, existem diversas maneiras de reverter esse olhar dos pequenos para os pais. E a dica é simples: participe sempre! Como? Veja abaixo:

 

• dê banho, troque fraldas e coloque para dormir;

• conheça mais as crianças lendo livros, indo ao médico com elas, participando de reuniões escolares;

• faça parte da rotina delas com atividades e brincadeiras;

• converse, comunique-se, dialogue.

 

E vamos com isso evoluir nossa sociedade para algo que ela sempre deveria ter sido: abrangente, respeitosa, acolhedora e igualitária. A transformação vem em etapas, em uma união de forças para o bem geral. Se todo mundo se colocar um pouquinho que seja no lugar do outro, tudo será mais fácil. Vida longa ao novo pai.

 

“E tudo nascerá mais belo

O verde faz do azul com o amarelo

O elo com todas as cores.”

Djavan

 

Você é ou conhece um papai desses que nos enche de orgulho pela postura adotada dentro de casa? Conte em nossas redes sociais seu depoimento e inspire mais famílias a viverem essa incrível transformação.

 

Fonte: Google | Revista Pais&Filhos | Tip Top Mag