< voltar

Crescendo

04 Março
Mordidas: o que fazer para resolver esse problema

Mordidas: o que fazer para resolver esse problema

Até os 18 meses de vida, a criança vive o que chamamos de “fase oral”, isto é, a boca é uma das suas principais maneiras de conhecer e interagir com o mundo. Por isso, as mordidas em coleguinhas é algo muito comum nas creches. Mas isso não significa que se possa fazer pouco caso do problema: a mordida pode ser dolorosa e deixar marcas, mesmo que não tenha havido intenção de machucar. O que fazer, então, para evitar e solucionar a questão das mordidas? O ideal é que você converse com a escola em que deixa seu filho, para saber o método que ela utiliza para lidar com essa questão. Embora quase inevitáveis, as mordidas podem ser reduzidas e a maneira como se lida com elas é super importante.  
  • Preste atenção ao que motivou a mordida: a criança pode estar numa disputa por um brinquedo, entediada, irritada, querendo chamar a atenção ou mesmo demonstrando carinho (é possível que a criança aprenda a morder em casa, a partir de mordidelas carinhosas dos pais; sabe quando a fofura é tão grande que dá vontade de morder? Não morda, dê o exemplo)
 
  • Não deixe de castigo: punir a criança que mordeu é dar um estímulo negativo, que pode deixá-la ainda mais irritada. O melhor é explicar que a mordida faz dodói e deixar que continue brincando com outras crianças
 
  • Evite reincidências: manter o convívio da criança que morde com as outras é importante, mas é preciso ficar atento para impedir que ela repita a mordida. Ao menor sinal, distraia a criança, ofereça outro brinquedo, tente apaziguar uma possível briga ou disputa.
  Cultivar bons hábitos é uma importante parte da educação dos pequenos. Dê o exemplo e procure sempre alternativas que não punam, excluam ou façam a criança se sentir diminuída. Confie no poder do amor!   Fonte: http://goo.gl/2cwGqU