< voltar

Cuidando

27 Setembro
Refluxo: conheça suas causas

Refluxo: conheça suas causas

Muito comum, principalmente nos recém-nascidos, o refluxo ocorre quando seu filho acaba de mamar e coloca todo o leite pra fora. Pode até parecer normal, mas veja como deve ser atenuado, de acordo com a idade do seu pequeno. Refluxo É quando o alimento volta do estômago do seu filho para o esôfago. Pode ser considerado normal quando não é frequente e não causa complicações. Quando ocorre Segundo pesquisadores, 50% dos bebês tem refluxo até 3 meses de idade, 67% entre 4 e 6 meses e, apenas 5% se estendem até um ano de idade. Comum em bebês O refluxo é mais comum em bebês, isso porque o mecanismo que devolve o alimento ao esôfago está em desenvolvimento no primeiro ano de vida. A válvula que faz a passagem da comida de um órgão para o outro fica mais tempo relaxada, facilitando o retorno do alimento que foi ingerido. A alimentação e a posição influenciam muito, conforme a criança se desenvolve e inicia a ingestão de sólidos, o refluxo tende a diminuir. Horários do Refluxo O refluxo costuma ocorrer logo depois das refeições, quando o alimento ainda não foi digerido. Outro período que pode acontecer é durante o sono, pois a criança repousa em posição horizontal e saliva menos. É uma doença? Em bebês é comum o refluxo gastroesofágico fisiológico, ele é natural e passageiro e não afeta o bem-estar do pequeno. Se o seu filho está ganhando peso, não chora ou fica irritado com facilidade, é porque não compromete o estado geral e emocional dele. Existe a doença do Refluxo Gastroesofágico, que é causada por uma má formação no aparelho digestivo ou por maus hábitos alimentares. Fique atento aos sinais de dor, irritação, recusa de alimentos, regurgitação frequente, vômitos e ganho de peso baixo. O tratamento evita irritação no esôfago, anemia e problemas respiratórios. Outro causa do refluxo está ligada à obesidade, que aumenta de 30 a 40% o risco da doença. Controlando o refluxo Nos casos de refluxo comum, experimente amamentar o seu filho na posição vertical e fracionar as mamadas para não exagerar na quantidade de leite. Após amamentar e fazê-lo arrotar, fique de 20 a 30 minutos em pé com ele, assim o leite desce e se acomoda no estômago, facilitando a digestão. Se o seu filho for maiorzinho, evite alimentos gordurosos, ácidos, condimentados e apimentados. Evite exageros e bebidas junto com a comida. Na hora de dormir, tente deixá-lo em posição vertical e de barriga para cima. Invista em travesseiros que deixem a cabeça elevada - chamados de travesseiros anti-refluxo. Em todos os casos, procure o pediatra. Ele poderá indicar qual o melhor tratamento ou medicamento para o seu filho. Fonte: Revista Crescer